Exame de mapeamento de retina

O MAPEAMENTO DE RETINA é um exame complementar onde todo o fundo do olho e suas estruturas são avaliados. Para realizar o exame, o oftalmologista utiliza-se de um aparelho chamado OFTALMOSCÓPIO INDIRETO. Segurando uma lente entre o olho e o aparelho, o médico neutraliza o poder de refração da córnea, e consegue visualizar as estruturas internas. Devido à forte luz utilizada, mesmo em olhos com opacidades de meios, como os com catarata ou doenças da córnea, o exame na maioria das vezes  é possível.

O fundo do olho é o único local do corpo humano onde podemos examinar diretamente, sem invasão, nervos e vasos. Por esse motivo, é possível diagnosticar e avaliar a evolução de doenças sistêmicas, como hipertensão arterial, diabetes, doenças reumáticas, doenças neurológicas, doenças hematológicas ou qualquer outra doença que resulte em alteração vascular, sanguínea ou nos nervos.

O nervo óptico pode estar alterado devido a glaucoma, inflamações, má formação e outras doenças. Os vasos podem apresentar alterações devido às doenças sistêmicas já citadas, além de tromboses (obstruções), inflamações, embolias e outras.

A retina é a estrutura que pode apresentar: isquemias, degenerações, inflamações, hemorragias, intoxicação medicamentosa, descolamento (quando se solta da parede interna do olho), tumores, buracos e outras alterações periféricas.

O MAPEAMENTO DE RETINA deve ser feito nos seguintes casos:

  • Quando há baixa visão não justificada pela falta de óculos adequados;
  • Sempre que o paciente, na consulta geral, tiver alguma queixa que possa estar relacionada a alterações internas do olho;
  • Quando o paciente tem mais de 50 anos de idade (devido às alterações que aparecem com a idade);
  • Quando há uso de medicações que possam ser tóxicas para a retina, no caso de todos os pacientes hipertensos, diabéticos ou com doenças reumatológicas;
  • Periodicamente, em pacientes míopes. Esses pacientes devem ser examinados com periodicidade porque a retina do míope é mais fraca, devido ao crescimento do olho, que é maior do que o do não míope. Esse enfraquecimento favorece o aparecimento de lesões periféricas que, quando não tratadas, podem levar ao descolamento da retina (doença que pode causar perda total da visão e necessita de tratamento cirúrgico).

Orientações:

  • Nesse tipo de exame, é necessário acompanhante.
  • Há dilatação da pupila e, por isso, não devemos dirigir em seguida.
  • Não é necessário jejum.
  • A duração é de 40 minutos em média, e o resultado é entregue na hora.

Para mais informações, consulte um de nossos oftalmologistas (87) 3862-8150. Consultas regulares evitam complicações.

INICIE A PESQUISA E PRESSIONE ENTER PARA PROCURAR